Dr. Rath Health Foundation

Responsibility for a healthy world

Movimento pela Vida!

Dr. Rath

Discurso do Dr. Rath, Kerkrade, na Holanda 04 de Abril de 2009

O discurso do Dr. Rath há uma semana, todos nós assistimos na conferencia do G-20 em Londres, como a batalha global entre o status quo e as forças da mudança está sendo travada ferozmente.

O “Status Quo”, representado pelos multi-trilhoes de dólares de investimento das empresas de petroquímicos e farmaceuticos, em suma, o cartel do óleo e o cartel das drogas - é representado pelos seus actuais actores políticos Nicholas Sarkozy da França e da Alemanha Angela Merkel.

As forças da mudança no G20 estao sendo conduzidas pelo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, que acaba de ser eleito para o cargo pelo povo americano com um mandato claro para acabar com a tirania do petróleo, e substituí-la por formas de energia renováveis.

A disputa no G20 nao é principalmente sobre o controlar a crise económica. A questao em jogo para o cartel e os seus actores políticos é muito maior. O que está em jogo é a própria sobrevivencia do seu negócio de investimento multi-trilhoes de dólares com o petróleo.

Nao é preciso ser economista para entender o que vai acontecer se sob a nova administraçao dos EUA na cidade de Detroit se auto inicia a produçao em massa de carros a hidrogénio - que sao os carros que utilizam água como energia. Quando isso acontecer, as pessoas ao redor do mundo vao entender que essa mesma energia da água pode aquecer as suas casas, acender as suas cidades e energizar os seus transportes públicos.

A energia do hidrogénio nao é nova. Cada planta, cada animal e cada célula no corpo humano usa essa forma de energia para produzir o seu fornecimento de energia biológica. Além disso, há 40 anos, os primeiros seres humanos chegaram á Lua usando energia de hidrogénio para impulsionar os foguetes Apollo.

A transiçao da era da energia de carbono ( óleo ) para a energia de hidrogénio ( água ) vai resolver a crise de energia do planeta para as geraçoes futuras, devemos lutar para isso.

Se os povos da América e os seus novos governos lançarem com sucesso esta transiçao, que vai inevitavelmente acabar com a dependencia mundial do petróleo, bem como os lucros ilimitados para os Rockefellers e os outros baroes do petróleo, entao estaremos todos a uma só voz.

Mas ainda maior do que as consequencias económicas dessa transiçao será o descalabro político. As pessoas do mundo já estao acordando para o facto preocupante de que a energia nao é o único campo onde o seu analfabetismo era a pré-condiçao para a exploraçao.

Milhoes de pessoas estao á espera para se juntar a nós na missao que nos reuniu nesta reuniao - a necessidade de superar as consequencias devastadoras do império farmaceutico com o seu "negócio com a doença."

O cartel sabe que uma vez que as suas principais pernas económicas - o óleo e as empresas de drogas - reconhecidas por milhoes de pessoas sao uma fraude, o seu domínio sobre este planeta é longo. Nenhuma fraude desta magnitude pode sobreviver em qualquer sociedade democrática. A única maneira que estes modelos de negócios fraudulentos pode ser continuado, é estar sob uma ditadura global, o que já está acontecendo.

Na Primavera de 2009 o plano global do cartel está colocado á nossa frente para que todos vejamos:

A ditadura global liderada pelas naçoes-chave do cartel, França e Alemanha, prontas para usar todos os meios económicos, políticos e até militares - incluindo o uso de armas nucleares francesas - para cimentar a continuidade do governo do petróleo e do cartel de drogas. Sob o pretexto de combater a crise económica, Sarkozy e Merkel gritam que precisamos de um "governo económico global." Mas o que eles realmente querem fazer é consolidar o primeiro passo para uma ditadura global em nome dos interesses que os levaram ao poder, o petróleo e cartel de drogas. Esse foi o pano de fundo da batalha travada esta semana na reuniao do G-20 entre o Status Quo e as forças da mudança em presidente dos EUA, Barack Obama.

Precisamos compreender este momento crítico na história da humanidade. Precisamos entender que a batalha entre a humanidade e as forças do mal chegou a um ponto culminante novo. Mas nao é só nossa a responsabilidade para ver os perigos desta situaçao.

Precisamos também de entender totalmente o poder de transiçao e a oportunidade de interferir neste momento da história. Devemos centrar os nossos esforços, identificar os nossos aliados e renovar o nosso compromisso para com o nosso grande objectivo "Saúde para Todos até ao ano 2020."

Erradicaçao através da Educaçao

Vamos primeiro olhar para a dimensao da tarefa que se avizinha nos próximos anos.

Durante o século 18, o médico ingles James Lind descobriu que o escorbuto nos marinheiros pode ser prevenido e até mesmo curado com a ajuda de sumo de limao, esta descoberta, em última análise, vai salvar as vidas de dezenas de milhares de marinheiros.

Pasteur

Um século mais tarde, o químico frances Louis Pasteur descobriu que as epidemias nao sao uma maldiçao dos céus, mas que elas sao causadas por microorganismos. Esta descoberta abriu caminho para o desenvolvimento de vacinas contra a raiva e outras doenças infecciosas e ajudou a salvar a vida de alguns milhoes de pessoas.

Estas eram verdadeiramente grandes contribuiçoes para a medicina e para o progresso da humanidade. Mas eles sao diminuídos pela magnitude da tarefa que está a frente da nossa aliança na saúde. O nosso objectivo nao é o de controlar apenas uma única doença ou um grupo de doenças.

A nossa tarefa é a significativa reduçao e erradicaçao das doenças mais comuns da actualidade. A mais importante destas doenças sao: os ataques cardíacos, os derrames cerebrais, pressao alta, insuficiencia cardíaca, batimentos cardíacos irregulares, problemas circulatórios, diabéticos, cancro, osteoporose, deficiencias imunológicas e outras. Estas doenças sao responsáveis ??por cerca de 80% de todas as mortes no mundo industrializado de hoje.

Assim, a nossa tarefa é enorme: partimos para salvar as vidas de dezenas de milhoes de pessoas.

As descobertas científicas que nos permitam alcançar este objectivo foram feitas. As substâncias naturais necessários para a prevençao e controle dessas doenças estao disponíveis. O único obstáculo que nos separa para alcançar esse grande objectivo e salvar milhoes de vidas é um simples factor: a educaçao.

Temos de perceber que o analfabetismo na área da saúde é a principal razao para a continuaçao das doenças mais comuns da actualidade. Educaçao em saúde, por sua vez, termina com a realidade deste analfabetismo e abre o caminho para a erradicaçao da doença. Em suma, a educaçao é igual a erradicaçao do problema.

Ao longo das últimas duas décadas, já contribuímos para acabar com o "analfabetismo" sobre muitas doenças comuns, assim como o de analfabetismo sobre a verdadeira natureza do negócio farmaceutico com a doença.

Na próxima sequencia da minha apresentaçao, vou destacar alguns dos "analfabetismos" que prevaleceram ao longo de décadas - ou mesmo séculos - e que poderia ajudar a remove-los através da educaçao.

Acabar com o analfabetismo de saúde sobre doenças cardiovasculares

Durante séculos, os povos do nosso planeta tem vindo a morrer de doenças cardiovasculares, durante o século 20, porém, estas doenças atingiram proporçoes epidémicas, tirando a vida de cada homem e mulher segundo na Europa, e em todo o mundo industrializado.

Sempre doenças tais como doenças cardiovasculares - a atingir proporçoes epidémicas, esta deve ser uma de duas razoes possíveis: em primeiro lugar, a causa subjacente da doença ainda nao foi identificada e nenhuma terapia resolutiva eficaz disponível.

Ou, em segundo lugar, as pessoas do mundo estao sendo mantidas analfabetas sobre a verdadeira causa da doença, como uma condiçao prévia para deliberadamente manter a doença como um mercado global de medicamentos patenteados.

Este analfabetismo sobre as doenças cardiovasculares terminou em 1991. Em duas publicaçoes científicas [1], [2], eu poderia resumir a nossa nova compreensao sobre estas doenças. O primeiro a apoiar estas descobertas foi meu colega e amigo, o falecido Dr. Linus Pauling.

Pela primeira vez, a humanidade recebeu as respostas as perguntas mais básicas de saúde que tinham permanecido abertas em conexao com o assassino número um do mundo industrializado:

Why_Animals_Cover
  • Por que quase todos os seres humanos desenvolvem arteriosclerose - o endurecimento das artérias -, mas quase ninguém sofre de "doença venosclerose" - o endurecimento das nossas veias?
  • Por que sofrem de ataques cardíacos, mas nao de nariz ou ataques de ouvido?
  • Por que é que os animais nao sofrem de ataques cardíacos, mas as pessoas sim?

Estas descobertas também terminaram na época em que os depósitos ateroscleróticos em desenvolvimento dentro das nossas artérias nao eram mais que um golpe do destino. O desenvolvimento destes depósitos - as causas de ataques cardíacos e derrames - havia se tornado uma previsível reacçao do nosso corpo para a crescente instabilidade das paredes dos vasos sanguíneos devido a deficiencia de vitaminas.

» http://www.why-animals-dont-get-heart-attacks.org

O desaparecimento natural de aterosclerose das Artérias Coronárias anos mais tarde, em 1996, desde a primeira prova clínica que a suplementaçao de vitamina pode parar - e em alguns casos até mesmo reverter - o desenvolvimento de depósitos ateroscleróticos nas artérias coronárias de pacientes, pela primeira vez na história da medicina, o desaparecimento natural de depósitos de cálcio nas artérias coronárias humanas foi documentada em imagens.

coronaryarteryplaques

No entanto, hoje - quase duas décadas após o véu do analfabetismo ter sido levantado no que concerne as doenças cardiovasculares - 15 milhoes de pessoas continuam a morrer todos os anos submetidos a estas doenças que vieram para ficar e eliminar o maior número de pessoas.

Esse número corresponde a populaçao das cidades como Nova York e Londres combinadas, ou de Hong Kong e Cidade do México juntos. Estes milhoes de pessoas estao desaparecendo a cada ano, com doenças que poderiam ser largamente eliminadas ??agora. Elas sao sacrificadas pelos interesses e negócio farmaceutico com as doenças, que alimentam a sua ganância insaciável sobre a saúde e a vida das suas vítimas inconscientes deste processo.

Para manter as doenças cardiovasculares como seu mercado, essa indústria é manter um exército de lobistas em medicina, a imprensa e a política. Eles sao os "guardioes do analfabetismo de saúde, juntos eles conseguem eliminar grande parte da populaçao mundial só impedindo que tomem conhecimento da nossa mensagem actual.

Hoje reunimo-nos para renovar os nossos compromissos de intensificar os nossos esforços de educaçao na área da saúde, e para superar essas forças da ganância e da morte com a nossa mensagem de saúde e da vida.

Acabar com o analfabetismo de saúde sobre o cancro

Durante décadas, os porteiros do analfabetismo sobre a saúde tem mantido as verdadeiras causas de cancro escondido das pessoas. O analfabetismo da Saúde sobre o cancro era uma condiçao prévia para manter esta doença como um mercado multibilionário de drogas tóxicas, aparentemente promovidos como "quimioterapia".

Ao contrário de outras doenças, o câncer também foi estrategicamente mantido ao longo de décadas como um instrumento psicológico para subjugar os povos deste planeta para a empresa sem escrúpulos com a doença. Como resultado desta estratégia, o diagnóstico "cancro" ainda é amplamente percebido como uma "sentença de morte."

O mercado do cancro com a quimioterapia tóxica é um exemplo perfeito para a expansao estratégica de doenças por parte da indústria farmaceutica.

cancerepidemic_small

Pacientes com cancro - intimidados pela "sentença de morte" de um diagnóstico de cancro - aceitam a infusao de substâncias químicas tóxicas nos seus corpos como um legado, devido a extrema toxicidade destas substâncias químicas para milhoes de células no corpo, o mais frequente efeito colateral da quimioterapia de drogas é a geraçao de novos cancros no corpo.

Estes novos cancros sao "quimio" cancros induzidos por terapia. Os vencedores e os perdedores desta estratégia viciosa sao conhecidos: milhares de pacientes com cancro de alimentar a ganância sem limites das empresas farmaceuticas com a sua saúde e vida.

Mas este negócio de investimento sem escrúpulos só progride sob uma única condiçao - que o público está sendo mantido analfabeto sobre as medicinas alternativas.

Finalmente, em 1992, o véu do analfabetismo também foi levantado após a publicaçao de novos caminhos para o controle natural do cancro, a porta estava aberta para que esta doença deixasse de ser uma sentença de morte.

O controle natural do cancro baseia-se nos seguintes factos:

  • Todas as células cancerosas usam enzimas digestivas de colagénio que se espalham pelo corpo.
  • Ao contrário de outras doenças, o cancro escapa ao sistema de defesa do organismo, pois as mesmas enzimas já estao sendo utilizados pelos nossos corpos, em condiçoes normais, por exemplo, durante a defesa da ovulaçao, imunológico e de outros processos fisiológicos.

O bloqueio natural destas enzimas, por exemplo pelos micro-nutrientes dos aminoácidos lisina e outros, permitindo o bloqueio natural de propagaçao de células cancerosas e das metástases.

harrison_book

» http://www.drrathresearch.org/discoveries/cancer.html

Ficou claro que, ao aplicar esse conhecimento, o cancro já nao seria uma sentença de morte e poderia um dia ser em grande parte um desconhecido.

A peça central para a remoçao do véu sobre o analfabetismo do cancro sao as enzimas que digerem o colagénio e as colagenases, ou também chamados de metaloproteinases.

O conhecimento destas enzimas é um segredo tao bem guardado que o livro mais amplamente usado no mundo médico "Princípios de Harrison of Internal Medicine" ainda evita falar sobre isso, ao ensinar tais processos elementares como "ovulaçao" para as futuras geraçoes de médicos.

braintumor

Confirmaçao clínica recente sobre um tumor cerebral erradicado por meios naturais, provou que o conceito científico publicado em 1992 sobre a possibilidade do controle natural de muitos cancros é hoje uma realidade.

Como mais de 7 milhoes de pessoas - correspondente a populaçao de Londres ou Tóquio, continuam a morrer de cancro nos dias de hoje, esta nossa tarefa para acabar com o analfabetismo de saúde sobre a doença acabará por salvar dezenas de milhoes de vidas.

Acabar com o analfabetismo de saúde sobre a SIDA

Depois que o analfabetismo de saúde sobre o cancro havia permanecido praticamente incontestado pelo público durante décadas, o negócio farmaceutico com a doença foi incentivado e a abertura dos mercados novos, com um olho no mundo em desenvolvimento.

Ao longo das últimas duas décadas, eles construíram o mercado multibilionário com a sida e as "quimio" drogas em toda a África e no mundo em desenvolvimento.

E, assim como com a epidemia de cancro, o cartel de drogas é enganar milhoes de pacientes com nomes de fantasia. No caso da SIDA eles baptizaram os seus tóxicos produtos químicos "anti-retrovirais", ou drogas anti-retrovirais, fornecendo a falsa impressao de que essas drogas tóxicas podem curar infecçoes virais, e o povo simples ( saúde-analfabetizado ) nem percebe nada.

Além disso, o esquema de marketing com a SIDA é uma cópia exacta do seu negócio com a epidemia de cancro. Eles até usam o mesmo truque do câncer no criar uma espiral crescente da doença: a promoçao de medicamentos tóxicos que faz precisamente a doença - deficiencia imunológica - que sao enganosamente prometidos para a cura, onde despoletam novos processos de cancro.

Nos últimos cinco anos fomos capazes de rasgar o véu de analfabetismo desta doença também.

Aqui estao os factos sobre o negócio farmaceutico com a epidemia da SIDA.

  • Todos os fármacos actualmente disponíveis para a SIDA - ou anti-retrovirais - estes medicamentos tem que levar por lei o seguinte aviso específico na folha de informaçao do paciente de cada pacote de drogas: "Este medicamento nao é uma cura para o HIV ou SIDA."

    » www.arv-facts.org

  • Ao mesmo tempo, as empresas farmaceuticas sao obrigadas a listar os efeitos secundários tóxicos destas drogas anti-retrovirais. Um dos efeitos colaterais mais importantes listados como um aviso sobre a folha de informaçoes do paciente de medicamentos anti-retrovirais é "leucopenia". Codificado em língua grega, esta palavra significa "uma reduçao significativa das células brancas do sangue", as “operadoras de telemóvel” do sistema imunológico.

    » www.dr-rath-foundation.org/stop-AIDS

    » www.dr-rath-foundation.org/nutrients-AIDS

Os fabricantes de medicamentos anti-retrovirais sao obrigados por lei a avisar os pacientes que os medicamentos nao funcionam para a cura da SIDA e que essas drogas tóxicas podem causar ainda mais deficiencias no sistema imunológico.

Para ocultar esses factos preocupantes mas científicos, o cartel de drogas paga todo um exército de lobistas em medicina, imprensa, política - e mesmo estrelas de Hollywood - todos analfabetos da saúde só interessados nos seus ganhos económicos, para transformar os factos científicos de cabeça para baixo em público e promover tóxicos ARV como "salva-vidas" na batalha contra a SIDA.

Há mais para o negócio de ARV. Os ARVs sao uma ferramenta perfeita para as antigas potencias coloniais, ou seja, o Reino Unido, França, Alemanha e outros para manter o mundo em desenvolvimento numa dependencia de estrangulamento económico, na área da saúde e nao só.

Na África e outras regioes em desenvolvimento, o cartel financia centenas de organizaçoes de drogas anti-retrovirais que promovem, geralmente operando sob a capa da caridade e apoio social. Estas organizaçoes sao pagas pelo cartel de drogas para forçar os governos do mundo em desenvolvimento a gastar bilhoes de dólares para a importaçao de drogas tóxicas que acaba por matar o seu próprio povo. Reeducar é preciso, este é o processo de analfabetizaçao em curso e os responsáveis por isto nao querem que os povos saibam disto, mas nós estamos aqui para mostrar ao mundo esta verdade real.

» http://www.end-aids-business.org/

Existem factos mais chocantes sobre o negócio de ARV. Em 1974, Henry Kissinger - EUA entao Secretário de Estado, Conselheiro de Segurança Nacional e "homem Rockefeller" - emitiu um documento de orientaçao política, com o nome NSSM 200, advertindo que a superpopulaçao do mundo em desenvolvimento constitui uma das maiores ameaças estratégicas para a segurança nacional dos Estados Unidos.

» www.nt-2.org/nssm200

Por outras palavras, se as naçoes industriais nao empreenderem esforços para dizimar os povos da África e outras regioes em desenvolvimento, a populaçao crescendo lá, um dia, demandará a sua cadeira na mesa dos países ricos.

Apenas alguns anos depois, a epidemia de SIDA começou -, seguido pela exportaçao e produçao em massa de tóxicos ARV para a África e todo o mundo em desenvolvimento. Sob o pretexto de caridade e de ajuda médica para os pobres, o cartel de drogas e seus fantoches políticos lançaram uma "guerra química" contra o povo do mundo em desenvolvimento, e nao só.

Com a ajuda de substâncias tóxicas ou "quimio" drogas - e o conto de fadas de curar a SIDA - as forças de doença e morte estao organizando um "genocídio farmaceutico" entre os pobres do mundo, porque eles nao querem partilhar a sua riqueza.

Para piorar as coisas, o G-8 da UE em Bruxelas estao financiando esse genocídio com bilhoes de dinheiro dos contribuintes - o seu dinheiro, voce que está lendo isto. Na sua reuniao de 2007 na Alemanha, o G-8 aprovou um programa de re-colonizaçao do continente Africano, incluindo a agenda para derrubar governos independentes e substituí-los com bonecos do cartel de drogas.

O primeiro governo que caiu vítima deste plano malicioso foi o governo da África do Sul sob a presidencia de Mbeki, que se atreveu a promover um sistema de saúde fora do controle do cartel de drogas. A primeira medida dos organizadores deste golpe sob Jacob Zuma foi a de abrir as comportas para distribuiçao em massa de ARVs tóxicos.

Acabar com o analfabetismo da humanidade sobre a verdadeira natureza da indústria farmaceutica.

Ao longo do século 20, um exército de lobistas pagos fez o brilho indústria farmaceutica como a "Rolls-Royce" de todas as indústrias. A crítica sobre medicamentos individuais e de algumas empresas farmaceuticas ocorreu, mas o público permaneceu analfabeto sobre a natureza fundamentalmente fraudulenta dos negócios da indústria farmaceutica com as doenças.

Isso mudou em 21 de junho de 1997. Numa palestra pública na Câmara Municipal de Chemnitz, na Alemanha, eu descrevi a indústria farmaceutica, como aquilo que é: o maior obstáculo para a saúde das pessoas.

» http://www4.dr-rath-foundation.org/PHARMACEUTICAL_BUSINESS/
The_Chemnitz_Programme/index.htm

Naquele dia, a máscara das empresas farmaceuticas como "bons samaritanos" deste mundo foi arrancado e o esgar feio do negócio com a doença e morte tornou-se visível para o mundo.

Esta exposiçao pública provocou uma avalanche de livros, exposiçoes e reportagens de alguma imprensa sobre a natureza fraudulenta do negócio farmaceutico com a doença.

Entre os críticos proeminentes sao "insiders", como o Dr. Marcia Angell, ex-editor-chefe do influente "New England Journal of Medicine".

As leis mais importantes para acabar com o analfabetismo sobre a verdadeira natureza do negócio farmaceutico com a doença sao os seguintes:

  1. A indústria farmaceutica nao é uma indústria de saúde, mas um negócio de investimento perante os interesses de lucro de seus accionistas.
  2. A prevençao e a erradicaçao da doença diminui os mercados globais de produtos farmaceuticos e nao é, portanto, dos interesses desta indústria e está a ser activamente combatido por eles.
  3. Os micronutrientes para abordar as causas celulares das doenças. Ao prevenir as doenças nas suas raízes, estas formas naturais de abordagem da saúde nao patenteáveis ??ameaçam os multi-bilioes dos mercados globais de drogas e, finalmente, a continuaçao das actividades de investimento farmaceutico com a doença.

A indústria farmaceutica, uma das maiores indústrias de investimento no mundo já foi exposto como uma fraude organizada: ele promete saúde, mas proporciona a doença - e alimenta-se nesta enganaçao global.

» http://www4.dr-rath-foundation.org/The_Hague/bwdcritical.htm

Com a exposiçao como uma fraude, a empresa de investimento com a doença perdeu qualquer base moral e credibilidade. Agora é só uma questao de tempo até que as pessoas do mundo perceberem este modelo de negócio imoral e tomarem cuidados de saúde.

» www.nuremberg-tribunal.org

Também nao há dúvida de que as pessoas do mundo irao manter os arquitectos, os especuladores e lobistas do negócio com a doença responsável pelos crimes contra a humanidade cometidos ao longo de décadas. Sem dúvida, tampouco, que as pessoas vao exigir um tribunal internacional organizado para o efeito - semelhante ao Tribunal de Crimes de Guerra de Nuremberg.

Acabar com o analfabetismo da humanidade sobre o petróleo e cartel de drogas como os arquitectos das guerras mundiais

Por muitas décadas, os livros de história tem tentado "vender" para nós a história da Primeira Guerra Mundial e da Segunda Guerra Mundial como acidentes da história. Nós fomos feitos para acreditar que a morte de 100 milhoes de pessoas e a destruiçao repetida de muitos países europeus foram trazidos em cerca de 1914 por um imperador megalomaníaco alemao e em 1939 por um ditador psicopata.

Este analfabetismo - que durou mais de meio século - já terminou também. Nós fomos capazes de obter mais de 40.000 páginas de registos históricos do Tribunal de Crimes de Guerra de Nuremberga contra os directores da Bayer, BASF, Hoechst e outros membros do cartel IG Farben e os publicámos na internet.

» www.profit-over-life.org

Esses registos históricos provam de forma inequívoca:

  1. A Segunda Guerra Mundial foi estrategicamente planeada, financiada e organizada em nome da Bayer, BASF, Hoechst e outros membros do infame cartel IG Farben.
  2. A Segunda Guerra Mundial foi a tentativa de conquistar militarmente os mercados mundiais lucrativos para produtos químicos, farmaceuticos e petroquímicos. A IG Farben cartel investiu no aumento dos bandidos nazistas ao poder político e apoiou activamente os preparativos para a guerra, em troca de aproveitar a indústria química em países nazis ocupados.
  3. Desta forma, a IG Farben tentou obter uma vantagem decisiva na competiçao mundial com a Standard Oil de Rockefeller e de outros actores globais nestes mercados extremamente rentáveis ??de produtos farmaceuticos e de alta tecnologia patenteados.
  4. Para planear os detalhes da Segunda Guerra Mundial, a IG Farben e os nazis formaram um gabinete de guerra e planeamento especial em Berlim, enganosamente chamado de "Escritório do Plano de 4-Year" sob o governo de Goering e Carl Krauch o director da IG Farben.
  5. No seu plano para uma Europa pós-Segunda Guerra Mundial sob o governo nazista Farben / IG, as patentes foram os principais instrumentos económicos e legais para controlar os mercados mundiais de produtos químicos, medicamentos e outros produtos de alta tecnologia do cartel e as economias dos países conquistados.

Com dezenas de milhares de páginas de documentos históricos do Tribunal de Nuremberga contra os criminosos de guerra Bayer, BASF e Hoechst já está disponível online para escolas, universidades e público em geral, as décadas de analfabetismo sobre as verdadeiras causas da Segunda Guerra Mundial podem ter sido encerradas para sempre.

Acabar com o analfabetismo da humanidade sobre o petróleo e o cartel de drogas como os arquitectos do campo de extermínio de Auschwitz

Por seis décadas fomos levados a acreditar que Auschwitz era um campo de concentraçao coincidentemente construído pelos nazis na cidade de Auschwitz, no sul da Polónia.

Agora, este analfabetismo, também, acabou. Como os registos de Nuremberga mostram:

  1. A cidade de Auschwitz, na regiao rica em minerais da Alta Silésia foi seleccionado pelo cartel IG Farben para construir IG Auschwitz - com 24 quilómetros quadrados, a maior zona industrial da Europa em tempo de guerra - para produzir gasolina sintética e borracha para a conquista do resto da Europa e da Ásia.
  2. O campo de concentraçao de Auschwitz nao se tornou o símbolo mundial de morte por coincidencia. Foi deliberadamente expandido para uma fábrica de trabalho escravo, a eliminaçao humana e morte em nome do cartel IG Farben e da sua fábrica próxima, construída quase que exclusivamente com as vítimas de trabalho escravo do campo de concentraçao nas proximidades.
  3. Os experimentos mortais médicos em milhares de prisioneiros de campos de inocentes nao eram o passatempo dos psicopatas médicos nazistas, mas os estudos contratuais com prisioneiros usados ??como "cobaias humanas" em nome de - e financiado pelo - os maiores do mundo as empresas farmaceuticas para a época: Bayer e Hoechst. A maioria das drogas testadas nestas experiencias mortais pertenciam a uma nova categoria de drogas farmaceuticas patenteadas. Seu nome - "quimio-terapia"!
  4. A fábrica da morte em Auschwitz - em grande parte financiada pelas maiores empresas do mundo das drogas naquela época - foi o berço para o mercado multibilionário de tóxicos chamados de "quimio" drogas promovidas pelas mesmas empresas para dezenas de milhoes de pacientes de cancro e SIDA.

» www.profit-over-life.org

Temos que encarar o facto preocupante: Auschwitz nao foi o fim do genocídio cometido pelo cartel de drogas, ele foi o começo.

Acabar com o analfabetismo sobre o petróleo e cartel de drogas como os arquitectos da "Bruxelas UE"

Enquanto os capangas de políticos e militares da Coligaçao IG Farben / nazista foram condenados em Nuremberga - os verdadeiros culpados, os directores do cartel IG Farben, foram logo libertados da prisao e reintegrados em posiçoes de topo na indústria alema para iniciar imediatamente o planeamento da sua próxima conquista da Europa, desta vez através da UE em Bruxelas.

Por 50 anos, foi-nos dito que esta construçao da UE em Bruxelas é a base para um futuro democrático deste continente. Agora, este analfabetismo foi encerrado também.

Estes documentos históricos publicados pela nossa Fundaçao mostram pela primeira vez a dura realidade:

  1. O plano para a UE em Bruxelas é uma cópia quase exacta do pós Segunda Guerra Mundial planeado para uma Europa conquistada sob o controle da Aliança IG Farben / Nazi.
  2. Esses planos para um Superestado Europeu foram discutidos publicamente pelos ministros nazis Ribbentrop, Frick e até mesmo o próprio Hitler.
  3. O nível executivo da UE em Bruxelas hoje é modelado do Nazi / IG Farben "Gabinete do Plano de 4-Ano" - um grupo escolhido a dedo de tecnocratas que operam para além de qualquer controle democrático.
  4. O Parlamento Europeu nao tem poder nenhum para a iniciativa legislativa. Ele serve apenas como uma folha de figueira mascarando o abuso por parte da UE em Bruxelas como o Politburo ditatorial do petróleo e do cartel de drogas, estes sim podem encomendar leis.
  5. O chamado Tratado de Lisboa é um "acto de habilitaçao" que - semelhante a 1933 - consolida o regime ditatorial dos interesses corporativos e dos seus fantoches políticos ao longo de milhoes de pessoas na Europa para as geraçoes vindouras.

» www.eu-facts.org

Neste site voce terá a possibilidade de protestar contra o Tratado de Lisboa. Encorajo-vos a usar esta forma de protesto online. Se voce quiser ver como este protesto online funciona, voce pode pedir a um dos nossos guias no intervalo das nossas conferencias, ou contacte-nos via email ou telefone.

drrath_kowalczyk_relay_of_life

Em 13 de Novembro de 2007, um encontro histórico teve lugar na cidade de Auschwitz. Cerca de 30 sobreviventes do campo de concentraçao de Auschwitz foram os primeiros signatários do projecto de Constituiçao que confrontou o plano imoral ditatorial da UE em Bruxelas com o projecto de Constituiçao para uma verdadeira e democrática "Europa para o povo e pelo povo."

E essa constituiçao nao é apenas uma proclamaçao. Ele exige a proibiçao de patentes para a saúde e a vida como a pré-condiçao para uma nova Europa, onde o cartel de drogas é privado da sua ferramenta fundamental de controle sobre as economias da Europa e da saúde de seu povo.

» www.relay-of-life.org

Eu lhe pergunto, onde na Europa há um grupo de maior integridade moral para ajudar a desenhar o caminho para uma nova Europa, do que as pessoas que olhavam nos olhos das forças da morte e sobreviveram aos seus campos de concentraçao?

Peço-lhe para ir a este site, apoiar o projecto de Constituiçao com a sua assinatura e discuti-lo com os seus amigos e dentro de sua comunidade.

Porque expusemos constantemente as forças da ganância e da morte - dos cemitérios do negócio com a doença para os campos de extermínio de Auschwitz e Segunda Guerra Mundial - nós ajudámos a mover a humanidade para a frente do ponto crítico onde está hoje.

O "Movimento da Vida" supera a idade de morte e a doença

Por um lado, resistir ao cartel do petróleo e das drogas e seus actores políticos, pronto para cimentar o seu domínio continuado sobre o nosso planeta por meio de crises económicas, as ditaduras e até guerras.

Por outro lado, está o nosso movimento de mudança. Mas a mudança nao é o suficiente.

movement_of_life

Para que sejamos bem-sucedidos, precisamos de definir o nosso objectivo - e temos de definir o valor da chave que irá impulsionar-nos a alcançar este objectivo. Existe apenas um nome para esse movimento - o "Movimento pela Vida".

Somente quando nos posicionamos sobre a realidade e moral das pessoas que sobreviveram a Auschwitz, e se juntar as fileiras de pessoas como Albert Schweitzer, Martin Luther King, etc, somente se o respeito pela vida se torna o motor das nossas acçoes - só entao seremos capaz de substituir as forças da doença e da morte.

O desafio do "Movimento pela Vida" é o de superar as adversidades desta transiçao na história, centrando-nos no novo mundo, realizada por este respeito mutuo para a vida em todas as áreas da sociedade e em todos os cantos deste planeta.

Numa altura em que os interesses de todo o cartel do petróleo e de drogas e seus actores políticos estao prontos para transformar o mundo em chamas - por desespero - nao devemos apenas impedi-los de o fazer, mas devemos também prepararmo-nos para um mundo novo que se avizinha.

Como é que este mundo novo pode e deve ser?

  1. É um mundo onde as doenças mais comuns hoje sao essencialmente desconhecidas.
  2. É um mundo onde a energia da água dos nossos rios e oceanos movem os nossos carros, aquece as nossas casas e ilumina as nossas cidades.
  3. É um mundo onde os trilioes de Euros até agora desperdiçados como pagamentos de tributos para o cartel do petróleo e de drogas, serao redireccionados para combater o desemprego e a pobreza nas naçoes, a fome e o analfabetismo no mundo em desenvolvimento, e assim, finalmente, fechar a lacuna entre as naçoes ricas e pobres.
  4. É um mundo onde os problemas como o aquecimento global, a poluiçao da nossa atmosfera e a destruiçao ecológica do nosso planeta ser resolvido com o uso de energias limpas, naturais.
  5. Em suma, é um mundo que podemos orgulhosamente entregar-nos a próxima geraçao.

Difícil? Impossível? Nao, se voce considerar os sobreviventes de Auschwitz. 60 anos depois eles quase nao sobreviveram aos arames farpados da tirania, eles poderiam ter olhado para trás para o passado e permanecerem passivos.

Ao apoiarem a constituiçao de uma nova Europa, na cidade simbólica de Auschwitz, eles fizeram exactamente o oposto. Mais uma vez, eles se levantaram no momento em que eles realmente eram chamados.

Um símbolo poderoso da força moral! Este é um poderoso exemplo para todos nós, para ajudarmos a construir esta nova Europa. Isso requer mais que a sua assinatura, isso requer que voce se envolva na sua regiao e divulgue esta mensagem.

Encorajo-vos a pensar em criar "projectos de vida" em vossas vidas e na vossa comunidade, a fim de dar o exemplo e começar a construir esta nova Europa e este novo mundo da saúde e da vida livre de medicamentos.

» www.movement-of-life.org

wha

Nós criamos um site que será conduzido por tais "projectos de vida", projectos dirigidos a si. Estamos ansiosos para desenvolver este site online e criarmos todos uma comunidade onde voce pode trocar os "projectos de vida" com outras pessoas ao redor do mundo.

Porque salvar tantas vidas o máximo possível continua a ser a nossa principal responsabilidade - e porque a educaçao significa a erradicaçao -, temos desenvolvido um primeiro projecto dentro do Movimento de Vida, e que todos nós devemos participar: a Alfabetizaçao Mundial de Saúde.

» www.wha-www.org

Nunca antes a humanidade esteve tao perto de um mundo onde as doenças mais comuns hoje sao essencialmente desconhecidas. Como cientistas, nós abrimos as portas para esse novo mundo. Agora depende de voce e das pessoas do mundo dar as maos. Juntos, temos a certeza de que este mundo da saúde e da vida se tornará uma realidade!